16 de nov de 2011

Sobre as coisas que fazem parar o país (Ou como os portugueses se deixam levar pelo circo)

Seguindo o mote dado pela Natália, aproveito para demonstrar a minha opinião, ainda que modesta, sobre o tema. Acho que todos os portugueses têm a noção que o país está em crise, e a crise vem para ficar (e mesmo os que preferiam não saber, têm esta memória avivada em todo e qualquer serviço noticioso). Assim sendo, e para não variar, os portugueses param o país para assistir ao jogo da Selecção Nacional. Dir-me-ão vocês que precisamos de alguma coisa para nos distrair, mas então é bom que tenhamos a noção que pela vitória de ontem, e consecutivo apuramento no Europeu, a FPF encaixa a módica quantia de 8 milhões de euros. 
E mais engraçado, é ler declarações de jogadores e treinadores muito bem pagos (salários mensais que cifram valores absurdos, insultuosos para o comum do português) a dizer que querem apoiar Portugal. Ai querem? Então aqui vai o desafio à Federação: esse dinheiro deve ser doado para pagar parte dos subsídios de Natal dos portugueses, boa?
Bonito de observar, também, foi a vingança que os portugueses fizeram, no momento do hino do Bósnia. Os portugueses, povo tão conformado, talvez até inanimado, conseguiu impor-se. No entanto, e enquanto o Estado nos "come" a todos ( «A primeira coisa que me desedifica, peixes, de vós, é que vos comeis uns aos outros। Grande escândalo é este, mas a circunstância o faz ainda maior। Não só vos comeis uns aos outros, senão que os grandes comem os pequenos. Se fora pelo contrário, era menos mal. Se os pequenos comeram os grandes, bastara um grande para muitos pequenos; mas como os grandes comem os pequenos, não bastam cem pequenos, nem mil, para um só grande. (…)» Padre António Vieira) os portugueses ficam muito calmamente no sofá, e ainda sentem orgulho em ser um povo respeitador. Meu povo, nós somos como os romanos, e não vemos que nos falta pão, enquanto eles nos distraem com circo. Mas rejubilem de alegria, pois no futebol ninguém nos dá baile. A troika não importa, agora cala-te e vê, vê porque vamos marcar mais um!

2 comentários:

Natália Granja disse...

Nem tudo em Portugal é mau e não se pode ter em mente sempre os aspectos negativos.
Estamos cá para criticar o que está mal, mas também para dar os parabéns pelo que fazem de bem.
A verdade é que ontem estivemos bem e merecemos todo o mérito ;)
Temos o país em crise sim, e daí? A crise parece que é só para alguns.
No que publiquei não referi nada sobre dinheiro, isso é uma questão à parte em que não pronunciei a minha opinião. Há muito dinheiro mal gasto em Portugal, é verdade.
Optimismo acima de tudo e orgulho no país que temos, apesar dos defeitos do mesmo :)

DavidPampillo disse...

concordo com ambas e acho acima de tudo que as piadas que frequentemente os portugueses fazem de Portugal e, em última instância, de si mesmos são características do povo. De certa forma vão-se abaixo mas com uma iniciativa ainda que indirecta de manter-se animados. É preciso dar valor com certeza as coisas boas e é preciso principalmente aprender com os erros, com os momentos piores, com enfim esta conjuntura de crise para nunca mais voltar a vive-la ou pelo menos vive-la mas de forma não tão sentida.
FORÇA PORTUGAL! ADORO ESTE PAÍS CARAGO ;)