5 de jan de 2011

quero sempre um pouco mais

Tomara eu quem me deixe no meu canto, não me retire o encanto de me conseguir entender. Procuro quem me tire todas as facas espetadas por outrém, consequência de todas as faltas dadas, as memórias perdidas e as promessas esquecidas. Recorro a mim mesma para o fazer, embora saiba que vai doer. Porque dói mais quando somos nós s tratar das nossas feridas. Mais vale pedir aos outros para nos ajudarem. Vai doer, vai doer mais vai ter que ser. Assim não dá para estar, para viver e continuar. Assim não dá para sorrir, só quero vencer e partir, onde tudo possa estar ao meu alcance sem perder nenhuma chance. Não quero mais sofrer, quero ganhar ou perder, mas continuar assim, não. Não quero sobreviver, quero viver, quero quem me apoie, quem me segure e me levante. Quero quem gosta de mim e também quem não gosta, porque só com coisas belas não melhoro. Quero criticas para ver, para receber e aprender. Quero aprender a chorar, a sorrir e a amar, com o coração e com a alma em pleno, sem ter que apalpar terreno. Prefiro cair, morrer e não voltar. Eu quero parar de estar assim. Não me quero deitar a imaginar o péssimo que pode ser o amanhã, porque péssimo já foi hoje. Não me quero contentar com o que tenho, quero mais e mais e mais, quero fugir(sem os meus pais). Não é por aqui sobreviver que não posso voar, partir e voltar para outro lugar. Eu quero quem me segure, quem me tire desta situação, desta constante ilusão. Porque eu não sou palpável, sou maior, sou intocável, vou partir, vou largar. Aqui não quero mais estar .

3 comentários:

DavidPampillo disse...

Profunda reflexão. As vezes precisamos do nosso espaço, do nosso momento. E aqui está uma chamada para isso. Boa xana.

Marta Senra disse...

Muitos parabéns! Toda a "gente quer sempre um pouco mais", especialmente um recanto. Obrigada!

Mariana Pereira disse...

Obrigada :$