6 de dez de 2010

Não faz mal chorar


Hoje a minha aula de Português foi emocionante. Tudo começou quando uma colega e amiga, na sua apresentação do contrato de leitura, expôs o livro, “A Vida na Porta do Frigorífico” que conta a história de uma mãe e uma filha que só se comunicavam através de bilhetes que deixavam colados na porta do frigorífico. Tudo desaba quando a mãe descobre que tem cancro da mama. 
Cancro, esta palavra só por si já revela um grande peso emocional, parece que até custa dize-la. Com certeza muitos de nós já perderam entes queridos com essa terrível doença, inclusive eu. Foi verdadeiramente tocante essa história, pelo menos foi para mim. Foi de tal maneira tocante que vieram ao de cima sentimentos abafados ou conservados no silêncio. E isso fez-me pensar durante aquele momento, não faz mal chorar. Não faz mal chorar por aqueles que nós amámos e que já não estão, ou por aqueles que estão mas passam mal. 
Não faz mal chorar por arrependimento, ou por culpa, desde que seja sentido, não faz mal. Chorar não é mais que a tentativa da nossa alma limpar as suas mágoas, é um reconforto agridoce sim, mas liberta-nos. Como disse a professora, se tivermos que chorar, choremos, se tivermos que gritar gritemos, mas não fiquemos com isso dentro.
É por isso que eu digo e penso que devemos amar até ao infinito e mais além, agradeçamos pelo que temos hoje e que nos pode faltar amanhã. Passemos sofrimentos e alegrias com os nossos mais queridos pois assim seremos mais completos. Pensemos neles independentemente de estarem longe ou perto. Beijemos as nossas mães, os nossos filhos cada dia, cada manhã, cada noite e agradeçamos sim, por eles gostarem de nós e por nós gostarmos deles.



David Pampillo

7 comentários:

IsabelJuncalP disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
IsabelJuncalP disse...

Realmente foi uma aula que me mexeu um bocadinho com todos nós. Não posso acrescentar muitas palavras, as expressões deixadas na sala 8A foram demasiado marcantes para as descrever!

Afinal,
"Não faz mal chorar..." :)

Hélia AC disse...

A Professora falou-nos, na aula de apoio, sobre essa vossa aula. Eu já li esse livro e é mesmo incrível como foca tanta coisa que mexe connosco. Está muito bom, David. Já agora, gosto mesmo muito do que tens postado neste blogue :)

Marta Senra disse...

Adorei o que escreveste e sim, como a minha amiga Hélie já comentou, a professora falou-nos da vossa aula. Obrigada por passares esta mensagem de que "não faz mal chorar", obrigada por partilhares os teus sentimentos, obrigada por teres feito um texto que honra todos aqueles que nos foram mais queridos mas que partiram... Obrigada por falares pelas pessoas que, neste momento, não conseguem falar. Obrigada!

DavidPampillo disse...

E eu agradeço os vosso comentários! :)

Hélia AC disse...

Não tens que agradecer. Continua, como a Marta disse, a dar voz a todos os sentimentos de todos os que não têm a tua coragem nem tão pouco a tua maneira de expressar :)

Marta Senra disse...

A Hélia disse necessariamente tudo! Tens que continuar pois és dotado de um enorme talento. Consegues transpor tudo o que sentes para o papel, e isso é uma dádiva. Continua, reforçando a ideia da minha amiga!