4 de jul de 2012

A vida da gente

Cada dia fico mais incrédulo com a necessidade de certas pessoas se acharem melhores que outros pelo simples facto de se encontrarem num grupo, muito denominado, os "populares". Já todos tivemos estes grupinhos a coexistirem connosco, simples mortais, certo?
Todos eles se acham de uma graça que me ofende sinceramente. Fazem e agem como se fossem intocáveis, desprendem olhares como se se encontrassem em cima de altares e para mais, acho que muitas vezes, gostariam de uma ou outra reverência da nossa parte. Quão insignificantes fizeram sentir as pessoas? Com aquelas conversas que só eles sabiam porque só eles tinham visto; com aqueles comentários cínicos, com aqueles olhares altivos...senhores, que vão fazer vocês com toda essa bagagem quando tiverem quarenta anos? Vão continuar a ser "os populares" ou simplesmente a beleza que tinham na cara já não chega para cobrir todas as estradas do mundo por onde passam com grandiosas marcas da vossa presença?
Confesso, não minto, que já tive vontade de pertencer a um desses grupos. Hoje, dou comigo a rir de pensar sequer nessa hipótese...no que me teria tornado...desdenhar cada um, desfazer cada vontade e deslizar para um esfera de influências que de longe, agora poderia suportar.
Acho imensa piada como se pode fazer uma análise perfeita a essa vida da gente que pensa possuir o rei na barriga, o sol na mão...No entanto, apercebo-me também que hoje em dia são cada vez mais inteligentes esses "populares". Antigamente era só mesmo ignorantes, hoje continuam a ser ignorantes mas com uma inteligência escorregadia com a necessidade frívola e fútil de quererem atingir algo para além dos outros.
Obrigado ao Universo por me fazer diferente deles. Ninguém precisa de se achar superior, ninguém precisa de ter o ego mais elevado, ninguém é perfeito. Cada um tem dentro de si um chama capaz de se fazer valer pelo que, intrinsecamente, é.

7 comentários:

SusanaPinto disse...

Concordo, cada um tem de ser o que é e não tem que mudar para ser superior e fútil como os outros :p

DavidPampillo disse...

exacto Susana ;)

Rita Pimenta disse...

Ninguem se coloca num pedestal, ninguem tem o sol na mao, nem o rei na barriga. os 'populares', como tu dizes, sao apenas pessoas tal como tu e eu, apenas ha pessoas que se preocupam mais com a vida deles do que com as proprias. Percebe que eles nao se acham, e nao pensam que estao acima de todos. ja pensaste que tu é que te rebaixas perante eles? Nao é preciso ser popular pra ter um ego elevado ou pra nos acharmos melhor do que os outros, tu es assim e tal como tu dizes, nao es um. pensa nisso

DavidPampillo disse...

Olha, desculpa mas eu nao percebi porquê é que tu sentiste incomoda por este texto?? Que eu saiba nao pus qualquer nome aí e, só para a tua informação, nao estava a falar de ninguém em específico! Falei de experiências comuns! E se tu nao estás contente ou satisfeita com algum texto que se publique neste blogue (seja de quem for) porque te tenha tocado de alguma forma, por favor nao tentes invalidar as vontades da pessoa que o escreveu! Ok?? E se leste o texto, parece-me que te passou ao lado completamente o significado que acho que a maior parte das pessoas percebeu: "Cada um tem dentro de si uma chama capaz de se fazer valer pelo que, intrinsecamente, é" - acho que disse com essa frase exactamente aquilo que tu comentaste: "Nao é preciso ser popular pra ter um ego elevado ou pra nos acharmos melhor do que os outros". É por causa do tipo de pessoas que eu falei no texto que acontecem os casos de bulliying não físico, mas psicológico que tanto rapazes como raparigas sentem para entrarem num desses grupos. Se o teu caso difere daquele que eu falei no texto, parabéns! Se conhecesses pessoas que tu possas ter relacionado com o meu texto e que não são assim, parabéns!

E para a próxima, fala da tua vida em concreto. Da minha e do que passei ou vivi eu é comigo. Eu nao digo nada a teu respeito, por favor abstém-te de comentar com o mesmo sentido que comentaste anteriormente. Sabes melhor do que ninguém a que tipo de pessoas me referia com o texto.

Rita Pimenta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rita Pimenta disse...

fica-te muito mal colocar um rotulo nas pessoas, que nem sequer conheces. so as ves e falas. tenho a certeza que ja sentiste isso por parte de outros e nao gostaste. E nao falei da tua vida e sim da tua personalidade. nao me vou chatear em tentar que percebas, tens a tua opiniao e eu tenho a minha e nao se trata de me sentir incomodada ou deixar de sentir pelo texto, é algo que nos toca a todos, e eu resolvi responder. publicaste isto aqui para que possamos dar a nossa opiniao, ou nao? senao guardavas para ti, digo eu. Acho que como toda a gente, tenho as minhas proprias opinioes, e este blog foi criado por isso mesmo, para expor aquilo que pensamos. Nao entendas tudo como uma critica, apenas devias entender que ha outras formas de pensar e a minha nao é igual a tua, mas nao deve ser por isso que deve ser rejeitada, deve servir para tentares ver as coisas de outra perspectiva e nao como se fosse um ataque pessoal. Tenho muita pena que nao percebas isso.

DavidPampillo disse...

Mais uma vez, acho que voltei a ser mal interpretado: em momento algum eu te disse que não expressasses a tua opinião. Aliás, ela ficará aqui registada. Acho piada também que tu digas que eu estou a "rotular pessoas que nem sequer conheço" quando de facto, como já repeti, eu não coloquei nenhum nome no texto para que tu te possas identificar, este texto poderia ser sobre outro tema qualquer relacionado com qualquer outra coisa...mas outra vez digo-te que falei de um caso completamente comum com o qual toda a gente já conviveu uma vez ou outra e nem se aplica só ao termo de grupos "populares" mas aplica-se a muitas outras coisas na vida, é algo bastante subjectivo.
E surpreende-me que fales da minha personalidade quando mais uma vez, eu, em momento algum falei da tua ou de qualquer outra pessoa. E desculpa, mas o teu primeiro comentário foi uma crítica quer tu admitas ou não, mas tudo bem com isso, não é um problema. Eu sei muito bem o propósito deste blogue, e tal como tu disseste aqui expõe-se o que pensamos. Vê-se perfeitamente que a tua opinião do assunto, é diferente da minha, portanto se tu não estás de acordo é porque há algo que te faz pensar de outro modo. Não sei sinceramente porquê é que tu te sentiste incomodada pessoalmente ou porquê é que remotamente associaste o texto a alguém em particular...senão não tinhas comentado da forma como comentaste da primeira vez.
Tu tens pena que eu nao perceba o que disseste, que por acaso percebi, e eu tenho pena que tu estejas a fazer uma tempestade num copo de água por algo que eu escrevi e que no fim de contas, é a minha opinião: foram as minhas experiências, não as tuas nem de ninguém, que me levaram a escrever sobre esse assunto.
Mais uma vez obrigado pelos teus comentários, serão atentamente levados em conta. Pela minha parte,já me expliquei o suficiente, coisa que não precisava de fazer. Vou ficar por aqui ;)