14 de mai de 2012

Crónica dos Tratados - (O Tratado da Desgraça)


Sim senhor, há muito tempo usam-se os Tratados para resolver problemazitos, adiar problemazitos ou fazer fachadas desses problemazitos. A União Europeia é a mãe porca desses Tratados e cada Estado-membro é um porquinho que foi marcado a ferro quente com o nome de uma cidadezita qualquer para fazer bonito…o Tratado.
Temos o Tratado de Maastricht, de Roma, de Paris, de Amesterdão, de Nice e que não falte o de Lisboa que a cidade há muito estava à espera de ser nome de Tratado; é algo especial, sabem, de prestígio, é como ser anfitriã do Euro, dos Jogos Olímpicos enfim. Agora eu pergunto-me, já se lembraram de escolher uma cidade assim mais…pequenina, mais modesta, tipo, Barcelos, ou melhor ainda uma freguesia tipo Arcozelo? Ficava giro cá para nós não? Era mais chique!
Então não é que eu e a minha amiga Cândida estávamos muito atentos (que fique claro) à aula de geografia, onde estamos a falar da U.E. e tudo isso, quando de repente começámos a ver Tratado para aqui, Tratado para acolá e nada de um Tratado bem feito, objectivo e com objectivos; coisas assim muito grandiosas que animem as pessoas. Nós próprios ficamos a pensar que é melhor que os senhores lá da U.E. tomem cuidado porque de aqui a bocado não haverá mais cidades para fazer mais Tratados ou se calhar, ao passo que isto vai, não haverão mais tratados para tantas cidades. Não sei, não se sabe.
Sinceramente vos digo que se a vida de cada um se resolvesse com um Tratado: assim bem assinado e bem redigido, ó meus caros, quantos confrontos não se evitariam? Quantas “guerras” de amizade, de amores, de certezas não se acalmariam? Quantas crises de existência já se tinham apagado?
Sim, os Tratados parecem ser uma solução viável e fiável. Pelo menos é isso o que a U.E. faz parecer. Eles continuam a teimar nos seus Tratados e em tudo o que eles alicerçam. Eles continuam a teimar que a Grécia não vai sair da Zona Euro, e a economia grega continua a teimar a se descair como uma montanha-russa cujos carris foram revestidos a óleo.
Mas isto tudo não importa. Não importa que a Merkel tenha perdido o menino dos seus olhos (Sarkozy) e que agora, em forma de birra, não vá ajudar a França ou mesmo, retire a mesada que dá aos outros Estados-membros. Não importa que Sua Majestade o Rei Don Juan Carlos de España vá fazer caçadas como no século XIX. Não importa que aqui Portugal ande numa pressão constante para responder à Troika e que o senhor PM Passos Coelho ande na feira do livro a ser vaiado (coitado, ele espera ir para a rua de camisinha aberta e não ser insultado nem uma vez que seja? Nem parece conhecer o país em que governa) …isso tudo não importa, haverá sempre mais um Tratado para acalmar os ânimos. E se por cá os Tratados não acalmarem pevide, haverá sempre um descontente que dará um grito mais alto: porra, acabem lá com os Tratados, deixem-se de tanta mariquice, ponham mãos ao trabalho!

2 comentários:

SusanaPinto disse...

é isso mesmo acabar com eles. os Tratados são feitos para depois outras pessoas terem o trabalho de fazer outros Tratados...

DavidPampillo disse...

ahah exacto Susana ;)