4 de abr de 2012

"Espelho meu, espelho meu, haverá alguém mais belo do que eu?"

Quem não conhece esta icónica interrogação proferida pela Rainha Má do famoso conto de Branca de Neves? Pois podem dar-se por surpreendidos ao saber que não é mais do que a mesma e singular pergunta que todos nós, nos fazemos todos os dias no nosso amplo subconsciente.
Falar de beleza, ou melhor, do conceito de beleza é uma tarefa um tanto difícil de cumprir visto que, no extenso mundo da relatividade, a beleza é sem dúvida uma das questões mais relativas. Isto deve-se ao facto do conceito ser tão diferente de tempo em tempo. 
A beleza é um conceito social que está intimamente associado com a sexualidade. É sem dúvida muito comum ver pessoas lindas de morrer ligadas a publicidades de roupa interior que no nosso pensamento perverso (embora não admitamos), nos fazem imaginar mais do que aquilo que a publicidade mostra. 
Estou para aqui a falar da beleza exterior, mais fiquem a saber que a beleza física influencia enormemente a beleza interior ou vice-versa...O facto de alguém ser lindo por fora, não implica, de todo, que por dentro seja "bonito", ou feliz. A beleza em si, é um termómetro que mede a temperatura da nossa felicidade.
Estudos elaborados demonstraram que a simetria é o mais importante critério que nos leva a ser tão "selectivos" contudo, há mulheres que preferem homens com aspecto mais velho, musculados ou altos porque as fazem sentir protegidas ou para causar inveja. Existem aquelas que preferem os mais rechonchudos pois sentem algo ligado à "fofura" e aquelas que preferem homens mais inteligentes e intelectuais pois vêm neles também uma estabilidade no que toca ao futuro. A maior parte das mulheres, prefere homens com mãos e nariz grandes ou um sorriso afável e bonito. 
Nos homens, costuma ser bastante fácil: mulheres bem dotadas, com lábios carnudos e loiras. Mas existem aqueles que prefiram mulheres autoritárias, intimidativas (não tanto virados para a beleza física em si) e muitas vezes, mulheres que lhes lembram a ideia maternal são as mais preferidas pois gostam também, de sentir-se cuidados e protegidos.
Está provado que as relações com "dois borrachos" duram menos que as digamos, mais normais. Nas "normais", uma pessoa do casal, compensa a falta da outra pessoa  - chama-se equilíbrio.
Crê-se que o porquê de os homens serem tão, coibidos, ao elogiarem outro homem (para além do facto de acharem algo ligado à homossexualidade, o que em nada influencia) deve-se ao receio de afirmarem a beleza nesse outro homem que provavelmente não se acham ter - fica aqui que o elogio de um homem ao outro, é um factor de masculinidade. Já nas mulheres, elogiarem a outra, muitas vezes leva no bico algo de falsidade e de inveja, mas também se deve à razão de as mulheres serem, no geral, mais sensíveis.
A conclusão é de que hoje em dia, somos forçados a estabelecer certos padrões de beleza; somos levados a questionar a nossa própria beleza. A sociedade actual costuma ser muito má quanto aos mais "feios"- porque na realidade ninguém é totalmente bonito, nem totalmente feio. Fica à consideração de um sentimento cego denominado de amor que nos enche de hormonas direccionadas a ver beleza em tudo da outra pessoa.
Talvez o melhor lema da beleza genuína seja: "we are beautiful, no matter what they say".

5 comentários:

sf* disse...

'' we are beautiful, no matter what they say'' - sem dúvida um grande lema!
adorei o texto *

DavidPampillo disse...

é não é?? principalmente a música que também é excelente ****

Obrigado ;)

sf* disse...

Completamente :D

Cristina Fitas disse...

Gostei, retrata bem a realidade

DavidPampillo disse...

reflexos de uma realidade cristina ;)