29 de abr de 2012

Certeza

Tenho-me dado conta de com tudo é passageiro e como nada é garantido, hoje, mais do que nunca apercebi-me de que é preciso ser forte por alguma coisa, por alguém e nesta volta do pensamento notei a vontade de pertencer que me enche, a vontade de me sentir integrado em algo igual, em algo sólido e concreto onde me possa sentir...protegido. Não é o que todos querem? Pertencer? 
Admito, tenho mais do que vontade, necessidade de me sentir encontrado. De me sentir certo; de tomar uma decisão e que ela se personifique num resultado que eu já esperava. É isso, tenho medo do imprevisível, do que não consigo vislumbrar, adivinhar, prever. Questiono-me sem dúvida se devo mostrar os meus pontos mais fracos, se devo mostrar-me vulnerável e não chego a conclusão. Nisto, acho que na verdade por vezes sinto-me sozinho, sinto-me longe e abandonado. Tenho ganas de ver as caras antigas, aquelas que eu conheça, e os sorrisos que antes me faziam sorrir a mim e como sorria... Esta coisa desesperada chamada de inconstância me atormenta e fico estático a desejar conhecer mais, mais alto, melhor!
Casa...esta palavra dá-me uma vontade sarcástica de rir, e penso afinal, casa é onde o coração se guarda, onde o coração está. Onde não está magoado, onde está feliz.

4 comentários:

sf* disse...

Grande verdade :)

O que é nosso hoje, não é certo que continue amanhã *

DavidPampillo disse...

Tão claro como a água :)

João Pedro disse...

Olha, mi casa es tu casa! (:

DavidPampillo disse...

ahah oh, thanks my friend :) :D