30 de mar de 2012

Estranho em mim


Às vezes o cérebro diz para fazermos coisas que não queremos, mas fazemo-las, às vezes contrariados. Numa outra altura ele em toda a sua superioridade ordena um sentimento e nós obedecemos. Mesmo nas vezes mais inoportunas, não descola – está ali e atento e chega mesmo a não nos deixar dizer o que verdadeiramente sentimos, porque acha que não é correcto ou o melhor a fazer ou simplesmente necessário.
De vez em quando eu cá já me fartei cérebro, gostava que fosse menos…cerebral, mas sem efeito, não descuida – ali sempre fixo à nossa rotina em constante vigília racional.
Em certas ocasiões o cérebro já me irritou tanto que tive de o pôr de parte, colocar a mão no peito e ouvir mais o coração.

2 comentários:

Cristina Fitas disse...

Gostei principalmente quando disseste :"gostava que fosse menos...cerebral

DavidPampillo disse...

Enfim Cristina, libertar-se das amarras é difícil...é difícil ouvir o que é necessário ouvir. ;)