10 de jan de 2012

Passámos uma vida inteira a confundir sensações com sentimentos. Achamos viver sentimentos intensos e inexplicáveis a cada dia. Vivemos agarrados à ilusão de que nunca ninguém viveu sentimento tão assolador e verdadeiro como o nosso. E depois, num dia que prometia ser igual a todos os outros, o sentimento genuíno bate-nos de frente, entranha-se em nós até ao mais recôndito espaço livre da alma e faz de nós o que quer. Então percebemos que tudo o que vivemos até ali não passava de uma sensação fabricada dentro da nossa mente.

3 comentários:

DavidPampillo disse...

não pude deixar de comentar: incrível! ;)

Cristina Fitas disse...

Uma sensação fabricada dentro da nossa mente. Esperemos que essa sensação se torne uma sensação da alma e do coração.

Mariana disse...

obrigada!
sim cris, muitas vezes torna-se pela força de querermos incutir sentimentos a sensações leves, que deviam ser do momento (: