17 de jan de 2012



Nunca saberemos nada. Essa é a verdade. Vamos conhecendo algumas coisas. Pouco. Aos poucos. Há alguém que nos vê de fora e ri quando vê um de nós, gritar na multidão, que sabe tudo. Estúpidos! O que sabemos é o que nos permitem saber, a ponta de um véu deixada de fora para ver se reparamos nelas. Nunca saberemos nada, e eu julgo saber isso. Estúpida, tu e a tua ilusão de conhecimento.

também presente em: metamorfose

Um comentário:

Cristina Fitas disse...

É verdade, nunca saberemos nada