4 de dez de 2011

Normalmente passo muito do meu tempo a pensar, a imaginar universos paralelos, a criar metáforas entre as coisas mais banais e as mais importantes da vida. Estava a comer a minha tangera, e percebi que a nossa posição perante ela é em tudo muito semelhante à nossa postura perante a vida: perdemos muito tempo a procurar as grainhas e nem nos apercebemos que no entretanto o sumo já escorre pelas nossas mãos, e o mais que podemos fazer é aproveitar o pouco que resta num gomo já deformado. 

2 comentários:

Mafalda Marques disse...

Gostei do texto, sigo*

Cristina Fitas disse...

Esta vai ser a citação do ano