12 de jun de 2011

A Mecânica do Coração

Não funciona a gás, nem a carvão nem sequer a grande pressão.

Não é petróleo o que o mexe, o combustível é emoção.

Bate tanto quanto pode, bombeia sangue

Quase que explode, este longo coração que nunca morre.


Faz de nós cada pessoa não tem corda ou programação;

Não é esférico nem quadrado faz o som da nossa invenção

Que quando canta com intenção, corre sangue: que furacão!

E este louco sem parafusos derruba tudo para o chão.


Quando chora, dói imenso:

Uma faca sentida cá dentro,

Um aperto, um momento um sofrimento, algo de muito intenso.


Este órgão nu de sentimentos

Não se encontra de mão em mão,

Encontra-se batendo no peito, este velho é o coração.

Nenhum comentário: