25 de mai de 2011

prefiro nem lembrar


São raras as vezes que me lembro de ti. Admito. Mas não tens de ficar inseguro, não tens de ter medos, tenho-te sempre muito presente em mim. Em cada sorriso e em cada lágrima também (a maior parte de alegria, mas também há as de tristeza). Cada avanço é feito na tua direcção, cada recuo é para mais perto de ti. No entanto, continuam a ser poucas as vezes em que me lembro de ti. É que para lembrar é preciso esquecer e eu nunca me esqueci de ti.

4 comentários:

Catarina. disse...

Amei

Natália Granja disse...

Gostei bastante mariana :)

DavidPampillo disse...

gostei xana *

Cristina Fitas disse...

I like it :D
Adorei