30 de mai de 2011

Outra vez, Outra vez!


O acordo era a Susana arranjar um bilhete, mas à última da hora quem os arranjou fui eu. Ela foi ver o jogo comigo, com o meu pai e com o meu namorado. Estávamos os quatro em êxtase, mas a Susana era a mais emocionada, e por contágio eu passei a viver aquele momento também com emoção. Ainda o jogo estava no início e o Gil avança no marcador. Foi o delírio, claroooooo!
Gil volta a marcar, e os adeptos voltam a fazer-se ouvir (se é que alguma vez se calaram!). Todos ficamos receosos quando o Fátima marcou, mas desta vez a Nossa Senhora estava do lado do Gil.
Com os olhos no Gil e com os ouvidos nos outros jogos para ver se estava tudo a nosso favor.
Últimos cinco minutos: tudo de pé, a vitória, a subida e vencer o campeonato estavam a dois assobios de se tornar realidade, até que, e sem que nada o fizesse prever, o Gil marca o terceiro!
Aí sim, era oficial, éramos campeões e tínhamos subido, após tantas lutas e injustiças!
Depois foi a festa total, cânticos, palmas, lágrimas, jogadores a dar as camisolas, outros reduzidos a boxers. Posters do plantel para todos, algumas das bolas do jogo também entregues ao público. Um ou outro maluco ainda foram até ao campo festejar com os jogadores. Foguetes e papelinhos, até que a taça foi erguida!


No final ainda nos deixaram entrar no campo e ver a taça. Campeões vêm à varanda, e o presidente é homenageado no autocarro a céu aberto, como os grandes campeões (Fiuza, um Presidente resistente).
Cá fora ainda encontramos a Ritinha. 
Agora minha gente, agora é oficial: Outra vez, outra vez, Gil Vicente na Primeira outra vez!

Levem os cachecóis para a escola, a cidade está em festa.

Aqui está a prova que é possível vencer as injustiças. Como? Com trabalho e mérito.

Campeões, Campeões, nós somos CAMPEÕES!

Um comentário:

Anônimo disse...

adorei :) rita*