16 de mai de 2011

Hino à Libertação

Chega de livros acastanhados, chega de espinhos desdobrados, chega de sóis e de serões desocupados. Chegam as histórias das nossas vidas, chegam as mãos todas partidas, chegam os sonhos apenas sonhados, vamos é concretizá-los!

Levantemos os olhos dos nossos joelhos, olhemo-nos ao espelho com garra e força. Não voltemos aos velhos tempos do esquecimento e da inglória. Vamos mais a frente e sempre em cima, vamos cheios de alma e sabedoria, vamos, corramos para o futuro: que nos aguarda um novo dia.


Deixem suspiros para as nossas costas, deixem alheias essas desculpas, deixem os gritos consumidos pelo medo e por outras coisas. Deixem caminhos empedrados, retirem uma nova filosofia, não aquela que aprendemos na escola, mas a que vivemos todos os dias.


Chega de saudade – como dizia – chega de estorvos e de manias, já me chegam as mágoas todos os dias! Chega de mortes e de mentiras!


Voemos juntos pelo nosso mundo, que grande e forte ele é: mas destruímo-lo todos os dias com negligência e estupidez. Não mais paredes nos fecharão, não mais batalhas para desafiar, não mais escadas invertidas e cavernas para escavar.


Aqui ficamos, aqui vivemos, vivamos todos juntos sem nenhum medo, saltemos alto até ao céu, cresçamos mais e sem receio!

2 comentários:

Cristina Fitas disse...

Adorei o Texto, a forma como nos faz pensar que devemos lutar pela nossa liberdade. Que devemos nos unir para conseguir esse objectivo. Na minha perspectiva está fantástico.
Viva a Liberdade.

DavidPampillo disse...

Obrigado cristina e sim, apoiado ;)