5 de mai de 2011

Com Estas Palavras Te Digo

Com estas palavras te digo: não me deitarás abaixo. Permanecerei firme e não sucumbirei. Alguém estará sempre comigo e esse alguém, eu sei quem é, mas não te digo. Deixo-te neste estado de castigo para que te desfaças de vez.
Não torturarás a minha alma, efervescente vivirei e os sofrimentos que hão de vir eu os enfrentarei. Serei cru, madeira e ferro. Chamas de estragos contidos, com estas palavras te digo: adeus, nunca direi.
Amanhã serei mais forte, seremos todos muito mais, escutar não nos aflige o que nos custará aceitar. Mas não tenham medo, nós aqui estaremos, provocaremos a alegria e abateremos o medo.
Não se esqueçam assim, de tão leve ritmo perdido, não se esqueçam assim: elo que liga o partido, um pleonasmo sem sentido. Lembrem-se do momento cuja força compreendida desprende das forcas gemidos de águas contra as correntes.
Cada milhão que vivemos, cada dia que tecemos, cada ser que cuidaremos e a nós próprios também.
Com estas palavras te digo: faz o que quiseres, mas não o faças comigo.
Com estas palavras te digo: eu sou eu, e mais ninguém!

2 comentários:

mariana capante. disse...

adorei o blog :)
sigo *

DavidPampillo disse...

obrigador por gostares ;)